terça-feira, 17 de março de 2009

Da missa de um ano de falecimento ao "casamento"

Hoje tive um compromisso fúnebre: a missa de um ano do falecimento do filho de um amigo meu, vitimado pela dengue. O moleque tinha apenas 8 anos.

Em matéria de religião eu consigo literalmente não ser nada, nem ateu. Nenhuma religião me convence, mas também não acredito que a vida termine com a morte. Não sei explicar isso, apenas intuo que alguma coisa há após a morte. Um dia todos nós vamos descobrir.

Minha verdadeira religião se chama EY. É ela quem eu louvo, idolatro, venero incessantemente 24h por dia.

Mas, enfim, chegando à igreja, sentei-me lá no final, apenas esperando a cerimônia acabar para cumprimentar meu amigo e me retirar.

Música vai, música vem, senta, levanta, comecei a me imaginar casando naquela igreja com a EY. Sim, isso mesmo, nem prestei atenção à mais nada, pela minha mente, tal qual um filme, passou cada cena desse "filme": Ela entrando com o irmão (o pai já é falecido), os padrinhos, a hora de ler os juramentos e, claro, a melhor parte, o beijo final e saída, já sob a condição oficial de casados.

Literalmente sonhei acordado.

Mas o mais legal disso tudo é que eu gostei muito da idéia. Me doeu o coração "acordar" e me lembrar da triste realidade de que a EY tem namorado e está a anos-luz de mim. Como dói.

EY, eu te amo!

16 comentários:

Valci Pessoa disse...

A morte é nada mais, que o maiorsegredo dessa vida =)

Alan Salgueiro disse...

Do falecimento ao casamento... querendo atormentar um pouco o autor, será então, caro, que talvez os papéis possam inverter-se um dia e daí o casamento pode ser também o falecimento do sentimento? O matrimônio é hoje apenas um contrato e o casamento uma instituição falida?

camila disse...

Talvez eu saiba oq é pensar em alguém e imaginar os melhores momentos da sua vida ao lado dessa pessoa, talvez eu encontrei o cara perfeito pra mim e não tive coragem de dizer isso a ele, talvez eu apenas criei o cara dos meus sonhos e acredito nele como se acredita numa religião, a gente só vai saber se isso se tornará realidade se tentar...

Mas vamos sonhando por enquanto, talvez seja isso que nos mantem vivos!

Voltarei,,, bjss

apanhadogeral disse...

Dengue é foda. Eu já tive. Dói tudo, e muito.
Religião é uma coisa muito particular, mas só de vc achar q a vida nao termina com a morte, em alguma coisa vc já acredita.
Abraço

Saulo Lopes disse...

A morte, pra uns é um descanço muito esperado...
Pra outros o fim da vida, e outros o começo de uma nova.
Cada um jeito de pensar, isso é a vida.

Abraço.



Visite meu blog

http://saulolopes.blogspot.com

Homenzinho de Barba Mal feita disse...

Na minha opinião, criança não deveria morrer. Eu fui no nelório do meu primo de 2ºgraú que só tinha 4 anos, muito triste mesmo a cena.

Em relação ao casamento, eu nunca me imaginei entrando em uma igreja para casar. já me imaginei como pai, agora casando na igreja nunca me pensei.

risadas disse...

Muiot triste ne, tanta gente morrendo com a dengue e nem assim as pessoas se conscientizam

Flá Romani... disse...

Horrível criança morrer, nem tem o que comentar...

diversidades disse...

HUuummm texto triste

Mariana disse...

O engraçado de você se 'pegar' imaginando se casando, é lembrar daquela época que você pensava 'ah, nunca vou casar'. Com quase todos isso acontece...

Morte é sempre uma coisa muito triste... amor não compartilhado também...
Quem sabe o destino não te aguarda algo muito bom?

THIAGO PAULO disse...

que legal cara... o blog é uma prova de amor. rs

bom, na questão religião, eu sou catolico e frequento a missa todo o domingo. não sou um fanatico, mais gosto de ir lá, ver aqulas pessoas que sempre vão, me sinto bem, sabe? Se não vou, fico a leve sensação de me esqueci de algo.

abraços...

visite meu blog: www.thiagocineseries.blogspot.com

Nat Valarini disse...

Boa tarde!

Morte e tudo o que está ligado a ela, sempre traz muita tristeza, ainda mais quando é de alguém tão jovem...

Felizmente ou não, a vida é feita de momentos alegres, outros nem tanto.

Nascer, se desenvolver, amar, casar, morrer: elementos do jogo da vida!

Kiso

http://garotapendurada.blogspot.com/

murillo disse...

Primeira vez que estou no seu blog, mas gostei de uns posts q vi,
sobre essa hitória, a morte realmente é triste, e quando não quero estar num lugar também tento viajar assim...:)

O amor e etc. disse...

"Minha verdadeira religião se chama EY."
Fiquei tão emocionado quando eu li isso.
Sinto muito pelo seu amigo.

PROTESTOS E disse...

"Minha verdadeira religião se chama EY. É ela quem eu louvo, idolatro, venero incessantemente 24h por dia."Tu e o burro do cara por quem sou paixonada ficam se matando por essas mulheres que não estão nem aí pra vcs.Bocós!

luiz disse...

a morte
rsrs
xp
se puder
http://sonabrisa.nomemix.com/